Nome: Gorda

2)Idade: 28

3)Blog: Vida de Gorda

4)Fale um pouco de si (Descreva-se).
Sou uma pessoa dinâmica, trabalhadora. Tenho uma personalidade fácil e enorme sentido de humor.
Em termos alimentares sou de extremos: ou deixo-me engordar até parecer uma vaca ou deixo de comer.

5)Sempre teve problemas alimentares?
Sim. Sempre fui gordita. Sempre que estive magra foi á custa de muito esforço.

6)Quais as tentantivas (medicamentos, dietas) que fez para perder peso? Resultaram?
A minha primeira dieta foi com o Tallon. Actualmente é a dieta que faço pois comigo é a única coisa que resulta. De todos os métodos é o melhor. Também experimentei a dieta da seiva mas desisti logo. A reeducação alimentar só por si demora muito tempo e logo desisto se não tiver acompanhamento do tallon. Também usei medicamentos da ervanária enquanto estava no ginásio mas fizeram-me aumentar de peso em vez de diminuir.

7)Quando e porquê decidiu fazer Reeducação Alimentar?
Decidi fazer RA mais a sério nesta última dieta porque não adianta ter uma dieta restrita para quando se a deixar não saber comer direito. O que se traduz em voltar a engordar. Portanto desde Dezembro 2008 que faço RA.

8)Quais os seus maiores apoios e incentivos na luta contra a balança?
O meu melhor apoio é o meu namorado. Quando me diz que estou linda. Ou que agora até tem medo de me magoar. São as minhas amigas dizerem que estou o máximo ou pessoas que não me vêem há algum tempo dizer que estou muito mais magra. Isso dá-me vontade de continuar. Vestir coisas que antes não podia porque não me serviam também.

9)Do total, quantos quilos já foram eliminados e quantos faltam eliminar?
Foram eliminados 20 kgs. Faltam eliminar 29. Mas com mais 10 kgs eliminados já me considero magra. Ir até aos 58 kgs é mesmo teimosia minha (tenho 1,73)

10)Deixe uma mensagem de incentivo para todos os que estão na luta.
Não desistam. Lá porque se "pecou" hoje não é preciso continuar a "pecar" amanhã. Lá porque se comeu uma colher de gelado não é preciso comer a taça inteira. E se acontecer comer um chocolate, não é o fim do mundo. Temos que saber ser duros connosco próprios mas sem nos martirizarmos constantemente.

Sem comentários: