Viver em Sociedade: Homossexualidade


Em pleno século XXI ainda há quem lute desesperadamente pelos mesmos direitos. Se antigamente a batalha era travada entre Homens e Mulheres, agora a guerra mudou de lado e tem juntos Homens e Mulheres, mas com pequenas particularidades. Apesar de não quererem categorizações é inevitável que tal aconteça. Durante anos considerados doentes, os homossexuais exigem que os tratem com respeito e lhes dêem os mesmos direitos que dão aos heterossexuais.

 Falar de discriminação é inevitável, mas a polémica instala-se quando nela se fala. Os direitos matrimoniais, a adopção e o simples gesto que é dar sangue, são direitos vetados a quem se assume como homossexual. Numa sociedade que é cada vez mais heterogénea, aceitar aqueles que são considerados "homogéneos" é praticamente impensável e quem os aceita é igualmente visto de lado.

Por onde começar para encontrar a resolução do problema? Essa é a grande questão que até hoje não tem resposta. Se por um lado atribuem a culpa aos heterossexuais, por outro são os próprios os acusados de se destacarem do resto da sociedade, fazendo questão de vincar as diferenças. No trabalho, na escola, na rua, e principalmente em casa, deve ser trabalhada a questão da igualdade de direitos.
Mas não se deve focar apenas um lado. A questão religiosa tem um peso muito importante e quem é religioso de fortes convicções não consegue aceitar as diferenças. O motivo parte de cima, do mais alto poder da Igreja, que ainda que possa admitir casos de pedofilia, adultério, violações e mesmo de homossexualismo no seio dos seus, não consegue ouvir o que realmente é pretendido pelos homossexuais: o direito à igualdade.
Assumirem-se é penoso, a família muitas vezes não consegue aceitar, muito por culpa da pressão exercida pela própria sociedade, acabando por expulsar e até agredir aqueles que amam mais do que tudo. A culpa do porquê ter acontecido e questionarem-se onde erraram, são sentimentos que vêem ao de cima e que por vezes nunca chegam a ser ultrapassados. O tempo é a única solução para o problema, mas enquanto não faz efeito, o que realmente acontece com quem ousou sair do esconderijo? Amigos e familiares compreensivos podem ser a resposta, mas nunca se terá a certeza do que acontece. Fisicamente as coisas podem ficar na mesma, caso não aja violência, mas psicologicamente as coisas ficam indescritíveis e raramente voltam ao normal.
Porque é que tudo tem de ser assim, se deveria ser considerado normal? Porque é que se escolhe ser homossexual em vez de heterossexual? Porque é preciso assumir uma coisa que se é? Porque é que nunca ninguém se põe no lugar do outro e por uns momentos sente na pele o que o outro está a sentir?
São questões que ficam no ar e a que ninguém responde. Não por medo, por vergonha, mas porque não são capazes de encontrar a resposta. São coisas que se fazem, sempre se fizeram e ninguém sabe porquê, nem que começou. Ninguém é homossexual a partir de certa idade. Quando se é, nasces-se a ser e não há volta a dar por muito que se queira. Resta assumir-se interiormente, aceitar-se como é e só muito depois, se assim o entender, dar a conhecer-se a quem acha importante.
O problema maior de "sair do armário" é que muitas vezes a própria família nega incessantemente o que está à vista de todos e quando tem as suspeitas confirmadas entra em negação sobre aquilo que sempre soube: a verdade!

Anselmo Oliveira 

3 comentários:

Sara Vanessa - Shazinha disse...

A homossexualidade ainda é uma questão pouco debatida por mais que a sociedade já tenha aceitado grande parte da historia em si...
Acho que você abortou muito bem o tema, realmente vc eh mto bom com as palavras.. rsrsrs

Sinceramente... adoroooo ler seus textos, espero o d semana q vem agora

bjussss

murilo disse...

gostei muito do tema, lembra-se quando eu falei em meu blog sobre preconceito? nao abordei esse tema porque vivo abordando nos debates da faculdade. recentemente iniciei um trabalho em antropologia que trata de pessoas que sao escluidas da sociedade, resolvi desenvolver meu trabalho realizando uma pesquiza num pensionato onde so residem travestis, apesar de a maiorianao se sentir escluidas, ainda o sao! muitas pessoas nao sabiam da existencia desse pensionato e descobri que existem outros ainda, que abrigam as varias subdivisoes sexuais (se assim posso chamar?). existem tambem varios orgaos que auxiliam os homossexuais na tentativa de fazer valer os seus direitos, elas desenvolvem trabalhos sociais que sao desconhecidos da populacao ou ate nao divulgados, talves para manter essa imagem negativa de que homossexual é só prostituicao, drogas, doencas, roubos, brigas e qualquer outra coisa má à sociedade. constantemente tapamos os nossos olhos para as diferencas existentes no mundo e nos dotamos de uma visao seletiva onde so existem pessoas do mesmo nivel que o nosso, da mesma cor, do mesmo credo, e das mesmas tribos que as nossas. é importante sim abordar sempre assuntos que ainda causam revolta em algumas pessoas, precisamos deixar de ser meros idiotas domados pela sociedade atrasada e conservadora. otima atitude anselmo, so nao comento mais pois tenho de ir embora.
fuuui

Anónimo disse...

como alguem sente-se bem sendo gay ? principalmente na sociedade em que vivemos .